Homeopatia

 

Homeopatia é uma, palavra de origem grega que significa "doença semelhante". E um método terapêutico baseado no uso de medicamentos capazes de provocar a própria doença ou sin­tomas. Segundo a definição do dr. Nilo Cairo, "Homeopatia é uma doutrina médica, ou sistema médico vitalista, que concebe as doenças como resultados de alterações da energia vital e da rede vital intrínseca, tratando tais doenças com medicamentos que produzem no homem sadio grupos de sintomas semelhantes" (baseado no postulado de Hipócrates similia similibus curantur, ou seja: semelhante se cura com semelhante). Esses medicamen­tos, ao passarem pelo processo de preparação farmacológica ho­meopática, liberam sua energia curativa. Constituem, então, "me­dicamentos-energia", e quando ministrados isoladamente (remé­dios simples), em doses mínimas infinitesimais, agirão sobre a energia vital alterada.

A homeopatia foi trazida à luz pelo médico saxão Samuel Hahnemann (1755/1843), porém existia já havia milênios. Hipócrates foi o primeiro de que se tem notícia a formular o princípio da semelhança e aplicar tal princípio, o que ele próprio deixa transparecer na seguinte observação: "A doença é produzida pelos semelhantes, e pelos semelhantes que a produziram, o paciente retoma da doença à saúde. Desse modo, o que provoca a estrangúria inexistente cura a estrangúria que existe; a tosse, como a estrangúria, é causada e curada pelo mesmo agente". Num de seus trabalhos, Hipócrates cita a cura de um caso de cólera com doses mínimas e espaçadas do medicamento Veratrum album, capaz de produzir gastrenterite dolorosa, similar ao ataque co­lérico quando ministrado em altas doses no homem são.

Percorrendo os séculos, os preceitos doutrinários homeopáticos foram se firmando, ganharam novas roupagens e novos impulsos com Paracelso, com Von Helmont e outros, para culminar, em Hahnemann, numa sistemática médica ampla e bem estruturada que ele batizou com o nome de homeopatia. Hoje, existem numerosas escolas, hospitais, médicos e farmácias homeopáticas espalhadas pelo mundo inteiro, sendo que seus adeptos se concentram em maior número na França, na Alemanha, na Rússia e nos Estados Unidos. No Brasil, a homeopatia praticamente ainda engatinha, embora aqui existam médicos homeopatas de excepcional valor, muitos dos quais, famosos por seu trabalho e sua dedicação, trouxeram grande avanço à homeopatia. Hoje, a moderna imunologia vem comprovando e descobrindo os métodos homeopáticos, antes inexplicáveis em termos científicos analíticos diretos.

Na homeopatia existe um método especial de preparo dos medicamentos, constituindo a farmacotécnica homeopática. De acordo com os princípios homeopáticos, daremos o seguinte exemplo de processo na produção de um medicamento: toma-se uma parte da erva ou da substância que se quer preparar e mistura-se com nove partes de álcool, obtendo-se o que se chama “tintura-mãe”; 

remédio assim obtido será em solução alcoólica; existem, porém, nume­rosos outros tipos de remédios, sendo os mais comuns os cons­tituídos por tabletes de lactose, que são bem mais práticos; a administração depende da preferência de cada um, pois todos produzem os mesmos resultados, sejam eles em forma de gotas, tabletes, glóbulos etc., sendo que a homeopatia dispõe de remé­dios tanto de aplicação interna quanto externa, como é o caso de colírios, pomadas, supositórios etc.

Para uma compreensão melhor da ação da homeopatia é necessário observar que seu principal efeito é estimular o organismo e suas defesas para o estabelecimento da cura, ao passo que a alopatia, procedendo a um combate direto, "age no lugar do organismo" e por isso inibe a capacidade orgânica de se auto-equilibrar. Ao invés de agir através do desgaste de energias, como é o caso dos remédios alopáticos (antibióticos, imunossupressores, corticóides etc.), o "medicamento semelhante à doença" age acumulando energia à mesma necessária para produzir a reestruturação dos processos orgânicos normais. Em casos graves, bem como em emergências, os médicos homeopatas podem fazer uso de certos remédios alopáticos, como nos casos dos antibióticos, mas após o tratamento de emergência esse mesmo medicamento será dinamizado e ministrado ao doente para se evitar seus efeitos colaterais (tratamento isoterápico).

Além dos remédios já citados e dos tratamentos de correção com os próprios agentes medicamentosos (como os antibióticos dinamizados, por exemplo), costuma-se empregar partes doentes do paciente para produzir os chamados "bioterápicos", ou nosó­dios, e sarcódios. Como exemplo, citamos o processo de retirar um fragmento de tumor e com ele preparar dinamizações apro­priadas, que serão usadas como remédio. Outro tipo de trata­mento é a "auto-hemoterapia dinamizada", que usa o próprio sangue dinamizado do doente no combate às suas enfermidades. Esse tratamento é bastante eficaz em diversos casos, principal­mente os relacionados com afecções dermatológicas e alérgicas. Para a sua execução é necessária a participação de um médico homeopata e a indicação de um laboratório idôneo.

 

Homeopatia


Homeopatia é confundida pela maioria das pessoas, com a Fitoterapia. Os remédios da Fitoterapia originam-se exclusivamente do reino vegetal. Os remédios da homeopatia originam-se do reino vegetal, mineral e animal.
A Homeopatia é baseada numa filosofia vitalista, levando em consideração que toda pessoa possui uma energia que a mantém viva - a chamada energia vital. Quando a energia vital não está em equilíbrio, fica-se doente. A homeopatia é um tratamento demorado, pois age de dentro para fora.


Medicamento Homeopático


O homeopata tem como meta encontrar um medicamento que englobe a totalidade das características individuais do paciente. Daí a necessidade de um interrogatório profundo, no qual se busca a compreensão da totalidade sintomática característica do indivíduo.
Os medicamentos Homeopáticos para serem prescritos necessitam, além da semelhança com os sintomas do paciente, de uma potência adequada ao caso de cada paciente. Ou seja, precisam ser diluídos e agitados de acordo com a orientação do Médico, que avalia isto durante a consulta. Este processo de manipulação do medicamento se chama dinamização.
Para obtenção da dinamização, normalmente os Farmacêuticos utilizam, entre outras, as técnicas chamadas de CH (Centesimal Hahnemanniana), de FC (Fluxo contínuo), que são as mais comuns. Estas técnicas de dinamização podem significar de alguns minutos a dias de trabalho ininterrupto, o que explica as eventuais demoras na feitura de medicamentos que não estejam em estoque. O medicamento homeopático pode estar com Alto ou Baixo Potencial Energético, isto é, existeuma escala de potencialização para ser usada no tratamento. A homeopatia é uma terapêutica que consiste em curar os doentes valendo-se de remédios preparados em diluições infinitesimais.

Miriam Pipari

E-mail: infoholistico@gmail.com

Whatsapp: 71 8166-6996

Formada em Naturopatia, pela Universidade Internacional de Ensino Livre, Terapeuta Holístico, Pelo Instituto Escola em Terapia Holistica, e Holoterapeuta e Cromoterapeuta pelo Instituto Antonio Vieira.

Profissão Cromoterapeuta, Auriculoterpeuta, Técnicas em Medicina Orientais, Técnica de Psicoterapia, Mestre em Reike, e Personal-trainer de Pilates.

Espaço de Medicina Holística Alternativa, fica situado em Salvador

 

Registro CRTH 0451

Abrath Nacional