Técnica de Drenagem Linfática

 

 

 


  drenagem linfática, massagem, curso

 

 


DRENAGEM LINFÁTICA.é uma das técnicas de massagem que atua como um descongestionante eliminando o excesso de líquidos através da circulação linfática e por ativar o sistema imunológico.

Diversas técnicas de massagem linfática foram criadas para o alívio
do edema, a ponto de o tratamento, com freqüência, ser separado da massagem convencional e praticado como uma terapia completamente individual. Entretanto, a massagem ainda exerce um papel significativo no tratamento do edema, já que a maior parte das manobras tem alguma influência sobre o fluxo de linfa.


Duas técnicas de massagem
 
Massagem linfática – deslizamento
O deslizamento linfático distingue-se das manobras similares
quanto ao aspecto de ser muito leve e lento. Praticamente não existe pressão nessa técnica: apenas o peso da mão é suficiente para mover a linfa pelos vasos superficiais. A direção da manobra é sempre para o grupo proximal de gânglios imediato, e a técnica é executada em um ritmo muito lento, para acompanhar o ritmo do fluxo de linfa. Muito pouca lubrificação é aplicada nesse movimento, e as mãos permanecem relaxadas enquanto se deslocam pelos tecidos. O contato é feito com toda a área da mão, incluindo a ponta dos dedos e as eminências tenar e hipotenar.
O benefício do deslizamento linfático estende-se também ao tecido
muscular, embora, para drenar músculos, seja necessário um
deslizamento mais profundo do que o usado para os tecidos
Manual de Massagem Terapêutica    Mario-Paul Cassar
superficiais, já que é necessária uma maior pressão para a estimulação das paredes dos vasos profundos por ação reflexa.
Como regra geral, a direção da manobra de deslizamento linfático para o tratamento dos músculos segue aquela do retorno venoso. Contudo, no caso de músculos longos, a manobra é executada a partir da periferia do músculo para seu centro, e esta é considerada direção mais precisa da sua drenagem linfática.
Para realizar a manobra de deslizamento linfático, o terapeuta pode ficar em pé ou sentar-se. No entanto, para manter as mãos relaxadas e o ritmo lento da manobra de deslizamento, é aconselhável sentar-se sempre que possível. Como já dito, a direção do deslizamento linfático segue a dos vasos linfáticos. Por exemplo, a massagem linfática na região posterior da coxa é realizada em duas direções. Uma manobra parte do ponto mediano para a região medial, acompanhando os canais na direção dos gânglios inguinais; um segundo trajeto parte da mesma linha mediana para a região lateral, e esses vasos também drenam para gânglios inguinais, mas seguem uma rota diferente. Na região anterior, os vasos linfáticos vão da região lateral para a mediai, e o deslizamento linfático é então realizado nesta direção.

 
       Massagem linfática - pressão intermitente


Essa manobra diferencia-se das técnicas comuns de massagem por
ser aplicada com pressão intermitente de bombeamento. Apenas os
dedos e a palma da mão são usados; as eminências tenar e hipotenar não entram em contato com os tecidos. Uma pequena pressão é aplicada por menos de 1 segundo e suspensa completamente durante o mesmo intervalo de tempo. Esse ciclo de "liga-desliga" é repetido continuamente, por um curto período. A cada compressão, os tecidos são alongados em duas direções: a primeira localizada em linha com os dedos e, portanto, na mesma direção em que esses apontam; a segunda, em uma direção horária ou anti-horária, rumo ao grupo proximal de gânglios mais próximos. Por exemplo, o profissional permanece junto ao lado esquerdo do paciente que se encontra em decúbito dorsal e coloca as mãos na região antero-medial da coxa direita; a direção do alongamento é horária, isto é, rumo aos gânglios inguinais.
Seguindo as mesmas diretrizes, a técnica de pressão intermitente
pode ser adaptada a outras regiões do corpo. Na panturrilha, por
exemplo, o movimento é aplicado com apenas uma mão.
Neste caso, aposição da mão assemelha-se àquela adotada para a
compressão. Os dois métodos, contudo, não devem ser confundidos: a massagem linfática por pressão intermitente é realizada de forma muito leve e sem nenhum movimento dos dedos, enquanto a compressão é aplicada com forte pressão e algum deslocamento sobre os tecidos.
Durante a técnica de pressão intermitente, é essencial que as mãos
mantenham bom contato com os tecidos para facilitar o alongamento.
Lubrificantes, portanto, devem ser evitados ou restritos a quantidades mínimas. Em contraste com o movimento de deslizamento linfático, a técnica de pressão intermitente é melhor realizada com o terapeuta em pé. 
A pressão intermitente dessa manobra exerce duplo efeito. É criada
uma ação de bombeamento que auxilia no movimento de fluido através dos vasos. Além disso, os tecidos e os vasos linfáticos são alongados em duas direções, longitudinal e transversalmente; como resultado, ocorre uma contração reflexa da parede muscular dos vasos, o que também empurra a linfa para a frente

 

                           Drenagem Power


A técnica consiste em uma massagem manual vigorosa e em seguida finaliza com uma drenagem, linfática relaxante. A cada sessão pode se perder cerca de 6 a 8 centímetros com duração de 60 minutos cada sessão, podendo ser feita até 3 vezes por semana.
lipomassagem A lipomassagem é conhecida também como uma powermassagem, ela é uma manobra manual que é aplicada na massagem que tem por finalidade eliminar a gordura das células adiposas , pra eliminar essa gordura. Essa gordura é sempre é eliminada pela corrente sanguínea pela urina e fezes.

 

PARA UM MELHOR ENTENDIMENTO DA DINÂMICA ESTÉTICA NECESSITAMOS DEFINIR ALGUNS ELEMENTOS
  • LINFA: É o líquido encontrado nos "vasos" linfáticos. Era "Líquido Intersticial" que, por sua vez era "Líquido Intracelular" ou ainda "Sangue Arterial". É importante entender que os líquidos, no corpo, recebem o nome em função do lugar onde estão. É como a água: Quando cai do céu, chamamos de chuva, quando brota da terra, chamamos de vertente. As vertentes formam riachos que formam rios que formam lagoas ou deságuam no mar. Tudo é água mas com nomes e propriedades diferentes. O que encontramos no mar não encontramos numa vertente. Da mesma forma os líquidos de nosso corpo vão trocando de nome e características de acordo com o local onde estão. Quando sai do coração chamamos "Sangue Arterial", quando entra num interstício celular chamamos de "Líquido Intersticial", quando penetra numa célula chamamos de "Líquido Intracelular" ao sair da célula volta a chamar-se "Líquido Intersticial". Existem duas maneiras do "Líquido Intersticial" deixar o interstício celular: Pode sair por uma vênula e será chamado de “Sangue Venoso" ou pode sair por um capilar linfático recebendo o nome de "Linfa" que mais tarde se juntará ao "Sangue Venoso" pouco antes do coração. Portanto a "Linfa" deve ser definida pelo local onde se encontra, nos vasos linfáticos.
  • COMO É A LINFA? Sendo que sai do interstício celular é desprovida dos glóbulos vermelhos que lá, não penetraram. Portanto é praticamente incolor tendo quase a mesma composição do plasma sanguíneo. Carrega consigo o que encontramos no interstício celular, em especial aquilo cujo peso molecular ou tamanho seja grande de mais para sair por uma vênula, as "Macro Moléculas" formadas por proteínas ou toxinas mas não apenas toxinas e sim todas as substâncias que se encontravam no "interstício celular" por ocasião de seu esvaziamento como "sais", hormônios, proteínas, energéticos, etc. e os elementos pertinentes ao "Sistema Linfático" como os glóbulos brancos (Linfócitos) produzidos nos Gânglios Linfáticos e Tecidos Linfáticos. Sendo que os vasos linfáticos são maiores que os sanguíneos as macro-moléculas de gordura, capturadas no intestino, aproveitam este caminho para chegarem até o fígado. Neste percurso a linfa adquire uma aparência leitosa. No corpo, o Sistema Linfático é também chamado de Sistema Imunológico. Isto significa que este sistema tem, resumidamente, duas funções: Defender e Limpar. Na DINÂMICA ESTÉTICA nos deteremos na função de "Limpeza" onde compõe a chamada "Circulação de Retorno" (Venosa e Linfática) colaborando na desintoxicação do organismo, em especial, no que diz respeito às "Macro-Moléculas" (sujeira grande). Contudo, sua função na defesa será levada em consideração ao decidirmos sobre suas indicações e contra-indicações.
  • GÂNGLIOS LINFÁTICOS: São estruturas ovais nas quais os vasos linfáticos penetram trazendo a linfa e seus componentes. Constituídos de tecido linfático são cobertos por uma cápsula de tecido fibroso. Formam os gânglios: Trabéculas, vasos aferentes (que trazem a linfa), seios linfáticos, vasos eferentes (por onde sai a linfa), nódulos corticais, córtex, centro germinativo, cordões medulares, artérias e veias. Temos de 400 a 600 gânglios agrupados em cadeias no corpo. As principais cadeias são: cervical, axilar, fossa oli-craniana, ducto torácico, pré-aórtico, inguinais e losango poplíteo. Tem por função purificar a linfa, formar linfócitos, também aprisiona estes agentes ou células "estranhas" (este processo, às vezes, forma ínguas) e são verdadeiros laboratórios produzindo defesas na forma de linfócitos e "anticorpos".
  • COMO A LINFA SE MOVIMENTA PELO CORPO? Para respondermos esta pergunta temos de saber algo sobre os vasos linfáticos. Estes possuem camadas semelhantes às paredes das veias e válvulas (valvas) em maior número que nas veias o que permite a linfa fluir em uma só direção, a do coração. Estas válvulas dão aos vasos linfáticos uma aparência característica de colar de contas.

A linfa é propelida ao longo dos vasos linfáticos pelos seguintes mecanismos:

  1. O estiramento e a contração do segmento de um vaso linfático entre duas válvulas;
  2. A formação de nova linfa por pressão interna ou externa nos interstícios celulares, empurrando a antiga para frente;
  3. Ação massageadora dos músculos esqueléticos sobre os vasos linfáticos;
  4. Ação reflexa ao batimento das artérias (os vasos estão próximos as artérias e sentem os batimentos);
  5. O peristaltismo intestinal sobre os vasos linfáticos ali presentes;
  6. A “sucção” formada pelos movimentos respiratórios;
  7. Na região, acima do pescoço, colabora à força da gravidade;
  8. Nos movimentos precisos e sincronizados do método DINÂMICA ESTÉTICA.

Observando os mecanismos de movimentação da linfa notamos que a formação de nova linfa, a ação massageadora dos músculos sobre os vasos, o reflexo dos batimentos das artérias sobre os vasos linfáticos e a sucção promovida pelos os movimentos respiratórios mantêm uma relação entre si. Quando o primeiro aumenta os outros mecanismos tendem a acompanhar este aumento. Havendo um aumento de atividades metabólica intracelular que ocasiona uma pressão interna nos interstícios celulares pela presença de toxinas e “macromoléculas” ou a uma pressão externa que “espreme” os tecidos superficiais desencadeando a abertura para as vias linfáticas, os demais mecanismos responsáveis pela movimentação da linfa também aumentam proporcionalmente. Ex: quando aumentamos a atividade física correndo, por exemplo, esprememos os interstícios celulares da “planta” do pé, os movimentos musculares aumentam, os batimentos das artérias aumentam e os movimentos respiratórios igualmente aumentam.

Sendo assim, torna-se evidente que a formação e transporte de linfa, efetuada por estes mecanismos, não é constante, podendo variar de acordo com a situação.

 

MÉTODO QUE LIMPA, ENXUGA E EMBELEZA O CORPO

Aliada nas massagens anticelulite, a DINÂMICA ESTÉTICA não tem apenas esse uso. Trabalha, também, a circulação energética, exatamente por seus benefícios relacionados ao relaxamento. Nas terapias tradicionais, pode ser usada como complemento em tratamentos variados, desde dermatites e contrações musculares até recuperação pós-cirúrgica. Como técnica de relaxamento, a DINÂMICA ESTÉTICA é capaz de exercer efeito sedativo e relaxante porque ativa o sistema nervoso por causa das manipulações lentas, suaves e repetidas sobre a pele – extremamente terapêutico, principalmente quando aplicada sobre rosto, cabeça e nuca. Ao mesmo tempo, quando aplicada no corpo com uma pressão e velocidade maiores, consegue atingir os vasos linfáticos mais profundos, trazendo uma sensação de alívio e bem estar.

Por trabalhar com várias técnicas terapêuticas associadas, a DINÂMICA ESTÉTICA tem como diferencial, a vantagem de unir, em uma única sessão de forma harmoniosa e sincronizada, as filosofias orientais e ocidentais.

Durante os últimos 6 anos, o Professor Rodolfo Correa Lima, Terapeuta Holístico, Fundador e Diretor do CECTH e Coordenador de Programas de Qualidade de Vida de diversas empresas no Estado do Rio de Janeiro, tem estudado, com profundidade, as técnicas de massagem denominadas:

 

DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL - desenvolvida por Emil Vodder (1936). A Drenagem linfática visa desintoxicar, nutrir e oxigenar todas as nossas funções biológicas. Ela faz circular a água que fica estagnada provocando edemas, melhorando a estética e dando uma profunda sensação de bem estar. Muito utilizada no pré e pós-operatório, pois diminui rapidamente os hematomas e edemas que ficam da intervenção cirúrgica.

Estudou também muitas variantes do método original. Algumas pareciam mesmo contradizer-se. Com o aparecimento da "Drenagem Mecânica", vários conceitos entraram em "cheque" (aberturas, sentido, etc), pois tudo funcionava. Acreditando que a palavra "Descobrir" é muito forte para descrever o que passou a compartilhar, melhor seria dizer "Compreender". Depois de muito analisar e observar como a "Drenagem Linfática Fisiológica" ocorria em nosso corpo desenvolveu um método que procura "IMITAR" o "Processo Natural" e que passou a abordá-lo de forma holística.
Desenvolveu pesquisas com as seguintes técnicas associadas à drenagem linfática manual:

 

 MASSAGEM SUECA - técnica ocidental de massagem que figura como uma das mais antigas técnicas naturais para restabelecer o equilíbrio físico e psíquico, tendo sido empregada por diversos povos desde épocas remotas. Ao estimular a circulação sanguínea e linfática, a massagem proporciona relaxamento, oxigenação das células, além de desintoxicar o organismo e descarregar as tensões. Auxiliam músculos, cérebro, nervos e órgãos internos;

 

Dinâmica Estética

VENTOSATERAPIA - Desde a antiguidade no oriente, é conhecida à propriedade da ventosa de limpar o sangue das toxinas acumuladas causadas pela sujeira da água e dos alimentos. Pois a estagnação do sangue coagulado, escuro e sujo, nos músculos das costas ou nas articulações é considerado pelas terapias orientais como um dos elementos causadores de desequilíbrios energéticos, sendo necessário retirá-lo para que o cliente possa se restabelecer. A ventosa é usada para o alívio de dores musculares, melhorar o sistema circulatório e até mesmo, para redução de disfunções e gordura localizada;

Dinâmica EstéticaACUPUNTURA AURICULAR - O emprego da auriculoterapia no tratamento de desequilíbrios energéticos não é recente. No Nei-Ching, livro que data de 4.000 anos atrás, considerado como a bíblia da acupuntura, está descrito o uso do pavilhão auricular na melhora da síncope. Outros livros antigos da dinastia Tang e Ming também mencionam o uso de pontos na orelha para o tratamento de diversos desequilíbrios energéticos. 

Atualmente, extensas pesquisas têm sido desenvolvidas nas escolas de Nanking e Shangai. Estes estudos enfatizam a importância da relação neurofisiológica da orelha, conhecendo-se mais de duzentos pontos empregados no tratamento de várias moléstias e na terapia das intoxicações por drogas, fumo e álcool. A despeito da eficiência da auriculoterapia, o que a faz tão difundida na atualidade são, em parte, as vantagens que apresenta, pois constitui um tratamento rápido, teoricamente simples, de fácil aprendizado, econômico, prático e destituído de efeitos colaterais.

Na DINÂMICA ESTÉTICA utilizamos a auriculoterapia e acupuntura para reduzir a ansiedade, melhorar o metabolismo e ajudar os clientes a desenvolverem uma reeducação alimentar.

QUEM PODE APLICAR A DINÂMICA ESTÉTICA

Esta metodologia apresenta resultados surpreendentes e caracteriza-se pela objetividade. Observamos um poder impressionante de auxílio no metabolismo, na redução do nível de stress, na redução de gordura localizada (principalmente nos quadris, culotes, coxas e costas) e na eliminação do aspecto de “casca de laranja” da pele.

Observamos em nossas estatísticas, uma redução de 3 a 10 centímetros de medida na cintura.

Miriam Pipari

E-mail: infoholistico@gmail.com

Whatsapp: 71 8166-6996

Formada em Naturopatia, pela Universidade Internacional de Ensino Livre, Terapeuta Holístico, Pelo Instituto Escola em Terapia Holistica, e Holoterapeuta e Cromoterapeuta pelo Instituto Antonio Vieira.

Profissão Cromoterapeuta, Auriculoterpeuta, Técnicas em Medicina Orientais, Técnica de Psicoterapia, Mestre em Reike, e Personal-trainer de Pilates.

Espaço de Medicina Holística Alternativa, fica situado em Salvador

 

Registro CRTH 0451

Abrath Nacional