APLICAÇÕES MEDICINAIS DA PIMENTA POR INGESTÃO
Minha experiência profissional e pessoal com o uso da pimenta. Como médico que valoriza o poder curativo dos recursos naturais, sempre prescrevi a pimenta como um grande auxiliar em diversos tipos de tratamento. Ao longo de quase 30 anos de profissão, tenho observado os efeitos benéficos da pimenta, principalmente nos distúrbios circulatórios, digestivos e para aumentar a imunidade, assim como um antiinflamatório potente nos reumatismos e dores articulares. Notei que a pimenta é um redutor das mucosidades orgânicas provocadas pelo consumo excessivo ou regular de laticínios, farinhas brancas, gorduras e açúcar branco. Na Índia, entre grupos que consomem grande quantidade de laticínios, não é comum verificar a presença de problemas como alergias (lactose e lactoglobulina) e reumatismo, como vemos no Ocidente, onde se faz uso diário e exagerado de derivados do leite. Quem estuda a medicina e a alimentação aiurvédica e indiana sabe que é o uso regular da pimenta (comum na Índia) o fator de proteção principal que explica a ausência relativa dos efeitos deletérios dos laticínios industrializados.
Tenho uma experiência pessoal marcante com a pimenta, que passo a relatar:
Embora goste de pimenta, há alguns anos encontrava-me numa fase em que não estava fazendo uso regular dessealimento. Eram dias muito agitados, com uma agenda muito complicada, com viagens, afazeres e uma alimentação irregular. Peguei um avião em Salvador, Bahia (onde a temperatura ambiente era cerca de 30° C) com destino a Curitiba, para ministrar um curso de Medicina Natural de três dias. Ao chegar, deparei-me abruptamente com uma temperatura de 6° C, com tempo fechado e chuvoso. Sem agasalho apropriado, recebi a friagem de cheio no peito, logo comecei a espirrar e a lacrimejar. Normalmente sou resistente a mudanças bruscas de temperatura, mas estava numa fase de muito desgaste e, portanto, imunologicamente enfraquecido. Fui para o hotel, onde poucas horas depois comecei a sentir calafrios e tontura. Era tarde da noite e não havia o que fazer, pois as farmácias estavam fechadas. Dormi muito mal e acordei com olhos bem vermelhos, corpo tododolorido, uma forte prostração e desmotivação, espirrando muito, tossindo com alguma secreção, febre, dor de garganta, rouquidão, coriza intensa e forte dor de cabeça, ou seja: sinais e sintomas de uma clássica gripe forte. Meu desespero foi enorme, pois o curso começaria na noite do mesmo dia, para um público grande e seleto, e eu mal conseguia chegar ao banheiro para tomar um banho! Não havia como cancelar o
evento, pois as inscrições foram pagas com antecipação, e os alunos vinham de várias partes do Estado. Telefonei para a promotora do evento e relatei a situação, e ela também se desesperou. Naquela época não era muito fácil achar própolis, que seria um bom recurso. Também não havia farmácia homeopática aberta nesse dia. Não era minha intenção tomar
alopatia, mas cheguei a pensar nisso para salvar a situação.
Lembrei-me então do recurso máximo para esses momentos: Pimenta! Pedi à promotora que me trouxesse uma boa quantidade de pimenta-caiena, mas ela não encontrou. A solução foi adquirir pimenta “calabresa” seca. Iniciei tomando uma colher (sopa) dessa pimenta por volta das 9 horas da manhã, engolindo diretamente, sem mastigar, com um pouco
de suco de laranja para “descer”. Mesmo não mastigando o ardor na garganta irritada era forte. Nesse momento eu estava bem rouco e com a voz quase sumida (para maior desespero ainda, pois iria precisar da minha voz). Continuei com o mesmo procedimento a cada hora, sem comer quase nada, apenas algumas frutas e água quente, permanecendo
na cama, envolto em cobertores, em repouso. Meia hora depois da primeira dose de pimenta, comecei a suar intensamente sob os cobertores. A cada hora tomava a minha dose de “remédio” e comia uma fruta. Por volta das 16 horas peguei no sono e dormi até por volta das 19 horas, perdendo as doses de pimenta desse período. Meu compromisso era às 21 horas, com uma palestra gratuita de 1 hora, antes do curso, que se iniciaria no dia seguinte às 8h30. Como por milagre, acordei mais forte, sem dor, sem coriza (o nariz parecia ter secado por dentro), com uma tosse leve, sem lacrimejamento e melhor disposto. A surpresa foi que ao ligar para a promotora, minha voz estava 70% melhor e grave.
Ingeri outra dose de pimenta, fiz um gargarejo com ela e um pouco de limão, tomei um banho longo, alternado com temperatura quente e fria. Pouco depois tomei uma sopa que pedi no apartamento. Fiz alguns exercícios respiratórios e relaxei. Quando a promotora chegou para me levar ao local do evento, ela não acreditou na transformação, pois havia visto o meu estado deplorável na parte da manhã. Mesmo um tanto
combalido, fui ao evento e fiz a palestra, sem me sentir mal e com voz aceitável. Depois voltei para o hotel e continuei a tomar mais pimenta. Dormi e acordei quase completamente bom e ministrei o curso em excelente estado de ânimo. Todos os sintomas haviam desaparecido por completo. Foi o melhor exemplo de “abortamento” de uma virose que já vi. Graças à pimenta!


Malagueta — a pequena notável
A pimenta malagueta (Capsicum annuum) tem propriedades
abrasivas, estimulantes, carminativas e hemostáticas. Muito útil
nas hemorragias do estômago (em forma de chá). As suas
propriedades terapêuticas são:
• Descongestionante nasal
• Prevenção de coágulos sanguíneos
• Prevenção de ataques cardíacos
• Prevenção de derrame cerebral
• Tratamento de doenças circulatórias
• Analgésico (uma aspirina natural)
• Dissolução de muco dos pulmões
• Redução do colesterol elevado
• Expectorante
• Indutor da termogênese (efeito de transformar parte das calorias dos alimentos em calor).
• Antioxidante
• Anti-séptico
• Bactericida
Pimenta caiena — uma das mais utilizadas como alimento para a cura e a manutenção da saúde. Já foi dito anteriormente que esta pimenta não é um tipo, mas uma variedade de malaguetas vermelhas secas, como dedo-de-moça ou chifre-de-veado, que são frutos grandes e de coloração forte. Trata-se de uma pimenta muito famosa pelo seu emprego culinário, que acaba por produzir efeitos medicinais.
Os efeitos conhecidos sobre a saúde referem-se à sua ação em todo o aparelho digestivo, sobre o coração e aparelho circulatório, agindo também como um catalizador ou potencializador dos efeitos de outras plantas. A caiena é considerada uma erva nutricional por autoridades médicas do mundo inteiro, principalmente pelo seu elevado teor de
betacaroteno (vitamina A) e vitamina C, além de vitaminas do complexo B, alto teor de cálcio e potássio (razões para ser bom para o coração e as artérias). Os estudos mostram que esta pimenta é capaz de refazer os tecidos do estômago e favorecer a ação peristáltica dos intestinos, melhorando a prisão de ventre. A caiena atua aumentando a assimilação de nutrientes e a eliminação de resíduos tóxicos do organismo. Estimula a produção de ácido clorídrico, necessário para a digestão e assimilação
adequada de nutrientes, principalmente das proteínas. Isso é
particularmente importante se entendermos como a digestão e a saúde digestiva são fundamentais para a boa condição psíquica, emocional e mental, pois têm reflexo sobre o cérebro, as glândulas de secreção, os músculos e todas as partes do corpo.
Um remédio para o coração. A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de interromper um ataque cardíaco em 30 segundos. Cita-se como
exemplo um caso ocorrido no Oregon, EUA, em que um homem de 90 anos, acometido por um severo ataque cardíaco, depois de ter sido considerado clinicamente morto pelos médicos, foi salvo por sua filha que colocou extrato de pimenta caiena na boca do pai moribundo ainda na ambulância a caminho do hospital. O paciente recobrou parcialmente a consciência e recuperou-se quase completamente ao chegar ao hospital, para espanto dos médicos. Os exames mostraram que o ataque cardíaco foi severo e, mesmo assim, o paciente estava bem. Os médicos não
entenderam, mas foram obrigados a aceitar que a pimenta foi responsável pelo fato.
Há também um caso em que o Dr. Richard Anderson, que colocou um pouco de pimenta caiena na boca de um homem que estava desmaiado num estacionamento, vítima de um ataque cardíaco, com o coração já parado, e o mesmo recuperou a consciência logo depois da aplicação, com o coração voltando a bater. Obviamente que isso aconteceu simultaneamente aos procedimentos médicos de reanimação de emergência aplicados pelo médico no momento.
Para casos de infarto agudo, enquanto a ajuda não vem, ou paramédicos e médicos entrem em ação, recomenda-se dar ao paciente uma colher (chá) de pimenta caiena em pó a cada quinze minutos em meio copo de água.
O Dr. Richard Anderson é um médico norte-americano muito conhecido pelo emprego da pimenta caiena e de outras ervas no tratamento e prevenção de doenças. Ele faz menção à uma combinação entre pimenta caiena e hawtorn (espinheiro alvar ou crataegus) para fortalecer o coração e prevenir ataques cardíacos.
Ele acrescenta que se uma pessoa utiliza continuamente, por longos meses essa combinação, mesmo que sofra um infarto, os danos serão bem menores. Ele conta um fato ocorrido com sua própria mãe:
“Ela vinha fazendo uso de crataegus (hawtorn berries)
com pimenta caiena, quando ela sofreu um ataque cardíaco aos 79 anos”. Sua dieta não era boa e ela vinha passando por uma situação muito estressante. No hospital, foram encontradas três artérias cardíacas bloqueadas e os médicos optaram por uma cirurgia imediatamente, porém, temerosos de que ela não sobrevivesse mais do que alguns meses se não fosse operada (quantos já não ouviram esta notícia!).
Ao mesmo tempo, os médicos estavam apreensivos sobre as possibilidades de ela não sobreviver à própria cirurgia, que era de alto risco devido à idade avançada. Mas eles a tinham nas mãos e havia muito dinheiro envolvido no processo. Apesar do fato de minha mãe ter ingerido aspirinas para a sua artrite crônica por longo tempo, ter fumado como
se ela fosse a reencarnação de uma chaminé de fábrica, e ter tido um infarto, seu coração até que estava incrivelmente forte. Na verdade, acharam seu coração mais forte do que a maioria das pessoas na casa dos 30 anos. A boa notícia final é que não apenas ela sobreviveu à operação, mas parou de fumar. A operação parece ter tido sucesso, mas, para mim, a melhor coisa que os médicos fizeram foi a operação e nada
mais. Acredito profundamente que a pimenta e o crataegus é que fizeram o melhor serviço, como os herbalistas sabem, mas poucos médicos acreditam.
Em função destes resultados, o Dr. Anderson aconselha a se ter sempre um pouco de extrato de pimenta caiena para emergências. Ele próprio carrega cápsulas dessa pimenta consigo onde quer que vá, e avisa: “Você nunca sabe quando pode achar alguém tendo um ataque cardíaco ou outras emergências”.
Segundo o Dr. Anderson, não é apenas para tratar situações cardíacas agudas que a pimenta caiena é indicada, mas nas seguintes situações:
Casos em que ocorre uma hemorragia nos pulmões,estômago, útero ou nariz, sugiro ministrar uma colher (chá) de extrato de pimenta caiena (ou pó de pimenta numa xícara com água) a cada 15 minutos até a crise melhorar. O sangramento deve se estancar em 30 segundos. A razão deste efeito é que, mesmo se a pressão sangüínea estiver elevada, ela pode ser corrigida pela pimenta e a ação coagulante/cicatrizante do
sangue pode ser incrementada.
Para hemorragias externas, o médico aconselha também a ingerir a pimenta caiena e aplicá-la diretamente sobre o corte.
Dr. Anderson relata um episódio em que, estando na praia, um homem com cólicas renais em crise aguda de cálculo, teve as dores eliminadas quase imediatamente ao ingerir pimenta caiena.
Outro relado do mesmo médico conta que ele próprio sofreu uma forte dor de dente no meio de uma noite num final de semana. Tendo tentado vários meios para eliminar a dor, só conseguiu resultado definitivo após ingerir pimenta caiena.
Mais um relato médico sobre o uso da pimenta: O Dr. John Christopher, clínico inglês do John Hoppkins Hospital, utilizou uma diluição de pimenta caiena para o tratamento de uma crise de asma crônica num bebê de seis semanas, permitindo que a criança respirasse normalmente com o tratamento. Devido a esse resultado satisfatório, o médico usou depois a pimenta caiena para tratar alergias de vários tipos, além de varizes, cãibras e cólicas, prisão de ventre e para potencializar a energia vital. Ele atualmente recomenda a pimenta para a desintoxicação do organismo, para elevar a temperatura corporal, incrementar a circulação sanguínea e melhorar a capacidade visual, além de confirmar a experiência do colega, Dr. Richard Anderson com relação à capacidade da pimenta caiena de ser excepcionalmente benéfica para o coração.
Atenção
Os tratamentos aqui relatados com o uso de pimenta caiena em casos de ataques cardíacos, bem como as recomendações mencionadas, são resultados da experiência de médicos e as sugestões são feitas por eles. Nem o autor, nem a editora se responsabilizam ou recomendam estes procedimentos, a não ser sob orientação médica. Em casos de infartos, ataques cardíacos e situações emergenciais similares, deve-se procurar atendimento médico imediato. Somente em casos excepcionais, quando e onde é impossível o socorro médico, pode-se utilizar a pimenta caiena, conforme indicado e, mesmo assim, aplicando os procedimentos de primeiros socorros de praxe, caso quem preste atendimento

 

Aplicações Gerais da Pimenta

Miriam Pipari

E-mail: infoholistico@gmail.com

Whatsapp: 71 8166-6996

Formada em Naturopatia, pela Universidade Internacional de Ensino Livre, Terapeuta Holístico, Pelo Instituto Escola em Terapia Holistica, e Holoterapeuta e Cromoterapeuta pelo Instituto Antonio Vieira.

Profissão Cromoterapeuta, Auriculoterpeuta, Técnicas em Medicina Orientais, Técnica de Psicoterapia, Mestre em Reike, e Personal-trainer de Pilates.

Espaço de Medicina Holística Alternativa, fica situado em Salvador

 

Registro CRTH 0451

Abrath Nacional